20 jan

Dor crônica: o mal que prejudica a rotina dos trabalhadores

De acordo com a Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED), a dor crônica é, atualmente, o principal motivo para incapacitar os trabalhadores de exercer suas funções dentro das organizações, podendo gerar sérias consequências psicossociais (para eles) e econômicas (para as empresas). Segundo a SBED, a incidência da dor crônica no mundo oscila entre 7% e 40% da população e, como consequência da mesma, cerca de 50% a 60% dos que sofrem dela ficam parcial ou totalmente incapacitados, de maneira transitória ou permanente, comprometendo de modo significativo a qualidade de vida.

As queixas mais comuns dos profissionais são: dores na cabeça, nas costas, na região lombar, tendinites e bursite de ombro. Esses problemas podem (e devem) ser evitados e a melhor solução está em oferecer uma estrutura de trabalho que diminua esses danos. Seja na parte organizacional, de planejamento e estratégia da empresa, que pode ser pensada para não sobrecarregar nenhum colaborador, ou na parte de ambientação do espaço de trabalho.

Neste caso, é importante que os móveis sejam avaliados para oferecer as melhores condições de trabalho aos colaboradores. Ao investir em móveis ergonômicos, que se enquadram tanto no bolso da empresa quanto na melhor saúde do trabalhador, é possível evitar que dores crônicas invadam a sua empresa e debilitem os colaboradores.

Então, para solucionar problemas crônicos é preciso apostar em cadeiras que ofereçam segurança e conforto ao colaborador. Elas precisam ter o encosto próprio para diferentes biótipos e devem manter a postura correta. Assim, são evitadas dores nas costas e na lombar. É necessário também ter utensílios ergonômicos que previnam tendinites e bursites de ombro, como bons apoiadores de punho para teclado ou apoiadores de antebraço que não forçam o seu pulso (e não prejudicam toda extensão do braço até o ombro) na hora de digitar, por exemplo.

As dores de cabeça podem existir por causa do estresse e também por passar horas em frente ao computador, portanto, dê um descanso para a sua visão de pelo menos cinco minutos a cada hora. Mas a distância entre a cadeira e a mesa (e o computador, posicionado em cima de um apoiador ou não) também é essencial para evitar essas dores de cabeça. Então, utilize a ergonomia a seu favor e não saia no prejuízo.

Author:
Tags: , , ,

POSTS RELACIONADOS

30 jun

3 dores causadas pela falta de ergonomia no trabalho – e como resolvê-las

Móveis mal projetados e ausência de ergonomia no trabalho causam problemas no ambiente profissional. Mas, reunimos 3 maneiras de resolvê-las.

Leia mais
17 nov

Atenção aos riscos de trabalho no escritório

Ainda que não apresente os mesmos perigos do chão de fábrica, o escritório pode, sim, prejudicar a saúde do trabalhador.

Leia mais
3 nov

Conheça as 6 doenças que mais levam ao afastamento do trabalho

Em alguns casos, o colaborador pode ficar meses sem conseguir exercer as suas atividades laborais.

Leia mais