21 abr

Em 2020, doenças ocupacionais serão as principais causas de faltas e afastamentos em ambientes de trabalho

O mercado de trabalho, nos dias de hoje, é pautado na dinamicidade e velocidade de produção – conceitos trazidos a partir da globalização e do rápido desenvolvimento tecnológico. Estes fatores, que desafiam os limites das nossas capacidades físicas e mentais, aumentam a ocorrência de doenças ocupacionais nos trabalhadores.

Elas são responsáveis pelo agravamento de problemas como transtornos mentais, cardiovasculares e reprodutivos, além de riscos psicossociais – como o estresse, apontado como fator predominante neste contexto. No Brasil, por exemplo, 14% dos gastos anuais de saúde já são relacionados a transtornos mentais.

A ergonomia pode te ajudar a enfrentar este processo, proporcionando maior qualidade de vida aos seus funcionários. Confira algumas dicas para adaptar o seu mobiliário, atuando na prevenção de doenças ocupacionais:

Invista em um ambiente que estimule o relaxamento

Cores neutras e iluminação controlada favorecem o conforto e bem-estar em ambientes de longa permanência. No caso de locais com incidência de luz natural, é essencial que se encontre um equilíbrio através de cortinas e persianas, além de focos complementares de luz artificial.

Caso o seu funcionário trabalhe através do computador, você deve investir ainda em mobiliários que permitam ajuste de tela e distância entre os braços do usuário e os periféricos da máquina – principalmente, mouse e teclado.

Proporcione períodos de descanso e recreação

Além da qualidade de vida dos seus funcionários, as estratégias de prevenção às doenças ocupacionais podem também aumentar a produtividade do seu negócio. Períodos de descanso e atividades relaxantes podem fazer toda a diferença para ambas as partes envolvidas neste processo.

Em artigo publicado no Linkedin, por exemplo, o americano Travis Bradberry afirma que o funcionário que possui períodos de descanso a cada hora rende mais do que aquele que trabalha 8 horas consecutivas. Bradberry é doutor em psicologia industrial-organizacional pela California School of Professional Psychology e coautor do livro “Emotional Intelligence 2.0” (Inteligência Emocional 2.0).

Portanto, adapte a sua rotina de produção – ou a dissolva, implantando um sistema de metas e incentivos – à partir de um estudo aplicado ao seu negócio. Cada ser humano é único e reage de forma diferente aos mais variados estímulos. Você deve considerar estes fatores únicos na hora de optar por um ou outro modelo de funcionamento.

Modele seu espaço de trabalho a partir da jornada de trabalho dos seus funcionários

Atividades diferentes requerem utensílios diferentes. Caso o seu funcionário possua pouco tempo sentado em um escritório, por exemplo, é fundamental que se privilegie a atenção e o foco através de um mobiliário fixo, que não exija grandes ajustes.

Enquanto isso, alternativas ergométricas mais flexíveis são adequadas para aqueles que passam mais de 2 horas sentados. É fundamental que sejam disponibilizadas cadeiras giratórias, com possibilidade de ajustes de altura e braços.

Não hesite em investir no que mais pode ajudar os principais responsáveis pelo seu sucesso: o seu corpo de funcionários. O catálogo da Prolabore possui diversas opções de cadeiras, mobiliários e acessórios corporativos para transformar o seu local de trabalho em um ambiente mais agradável e funcional.

Author:
Tags: , , ,

POSTS RELACIONADOS

16 abr

3 dicas definitivas para melhorar a ergonomia no local de trabalho

O estudo do ambiente e o investimento na saúde dos colaboradores são peças-chave para o sucesso do seu projeto.

Leia mais
1 set

4 dicas para combater a depressão no trabalho

A depressão é considerada uma doença ocupacional e ter uma rotina profissional sobrecarregada podem desencadear o desgaste físico e mental de uma pessoa.

Leia mais
12 maio

Aprenda a se prevenir da Síndrome do Esgotamento Profissional

Os sintomas são variados: desde o esgotamento físico e emocional - que causa, entre outras coisas, a ausência no trabalho - à dificuldade de concentração.

Leia mais