17 fev

Excesso de tempo no trabalho não significa produtividade

De acordo com um estudo do centro sobre desempenho no trabalho dos Estados Unidos, The Workforce Institute, 81% dos colaboradores norte-americanos trabalham além do horário. Esse tipo de profissional é conhecido como mártir do trabalho.

Já a organização Tempo Livre, que busca mudar esse tipo de costume, afirma que jovens com idade entre 18 a 35 anos são bem mais propensos a se tornarem mártires do trabalho, se comparados com os seus colegas mais velhos. Um dos principais motivos que leva a esse comportamento é o reconhecimento positivo (e viciante) pelo esforço empregado no trabalho.

Isso acaba tornando-se um ciclo viciosos, à medida que os trabalhadores mais jovens vão assumindo cargos de liderança e exigindo da sua equipe o mesmo nível de dedicação. Porém, passar mais tempo no escritório não significa que, necessariamente, que o trabalho terá uma boa qualidade.

Os gestores das empresas devem estabelecer metas claras para prevenir que os profissionais fiquem esgotados. Caso contrário, a tendência é que a produtividade e a eficiência na execução das tarefas caia conforme os colaboradores trabalhem cada vez mais sem ter um período adequado de descanso. Essa rotina acaba resultando em um impacto emocional negativo.

Segundo informações do Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional, o excesso de trabalho está ligado a vários problemas de saúde causados pelo estresse, como depressão, insônia e consumo excessivo de bebidas alcóolicas. Junto a isso, hoje, sabe-se que trabalhar 55 horas ou mais por semana aumenta em 33% o risco de uma pessoa ter um acidente vascular cerebral (AVC) e em 13% as chances de desenvolver problemas cardíacos em comparação com quem cumpre uma jornada padrão de 40 horas semanais.

Além de controlar as horas trabalhadas, para garantir a saúde dos profissionais, é preciso investir em um ambiente de trabalho ergonômico e confortável. Portanto, aposte em móveis e acessórios que se encaixem aos diferentes perfis dos profissionais da sua equipe, com cadeiras e mesas indicadas para cada biotipo. Utensílios como apoiadores de mouse evitam que as pessoas tenham problemas nos pulsos e são essenciais para que os profissionais tenham um bom desempenho ao longo da jornada.

Author:
Tags: , ,

POSTS RELACIONADOS

2 jun

Aumentando a produtividade dos seus funcionários com ergonomia

A ergonomia pode se tornar a principal aliada de quem visa o aumento de produtividade em seu ambiente laboral.

Leia mais
8 dez

Mudanças na cultura das empresas e os novos ambientes de trabalho

Diferentes modelos de negócio provocam alterações desde a mentalidade de operação até a ergonomia.

Leia mais
29 dez

Qualidade de vida dos profissionais passa pela ergonomia

Diferencial competitivo está na inclusão de diretrizes ergonômicas às suas estratégias e no impacto que isso tem na qualidade de vida de seus profissionais.

Leia mais