23 nov

Problemas de visão e audição: o que eles têm a ver com ergonomia?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 15% da população mundial tem perda auditiva, sendo que muitas dessas pessoas apresentam o problema devido ao uso excessivo de tecnologias como computador ou fones de ouvido.

No ambiente laboral, outro problema que atinge a audição dos profissionais é a chamada Perda de Audição Induzida pelo Ruído (PAIR), que aparece em trabalhadores expostos a ruídos excessivos e prolongados durante a sua jornada de trabalho.

Ainda de acordo com a OMS, o volume de 85 decibéis (dB), quando ouvido por oito horas seguidas, já é considerado prejudicial e, a cada 5 dB de aumento, o tempo indicado de exposição é reduzido pela metade, ou seja, se o ruído for de 90 dB, o tempo máximo de exposição deve ser de quatro horas; se for de 95 dB, o tempo passa a ser de duas horas e assim por diante. Quando o volume ultrapassa os 120 dB, torna-se lesivo, sendo chamado de trauma acústico, levando à perda de atenção súbita.

Quanto à visão, o maior vilão é o uso excessivo das telas de celular, tablets, computadores e TV.

 

Atenção aos sintomas

A exposição constante a volumes muito altos leva à perda progressiva da audição neurossensorial, o que costuma ser irreversível. Além disso, outros sintomas podem estar associados à exposição ao volume excessivo, como dor de cabeça, irritabilidade e alterações do humor e do sono.

Já a exposição excessiva às telas provoca a diminuição na quantidade de piscadas, o que afeta a lubrificação dos olhos, causando irritação ocular, olhos secos, ardor e dor de cabeça. Junto a isso, ao olhar para uma tela próxima, há um esforço dos músculos oculares para que a imagem fique nítida, também gerando dor de cabeça, alteração da visão, incômodo à luz, lacrimejamento, ardência nos olhos e a síndrome da visão cansada. Isso sem falar que a luz azul das telas dos aparelhos eletrônicos afeta o ritmo circadiano, nosso relógio biológico, que controla o ciclo do sono, podendo causar alterações como insônia.

 

Onde entra a ergonomia?

A ergonomia no ambiente de trabalho tem o papel de criar espaços laborais seguros, confortáveis e produtivos, integrando as habilidades e as limitações de cada profissional em um espaço que comporte o tamanho do corpo, a sua força e habilidades.

Nesse contexto, é importante que as empresas não só forneçam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) específicos para proteger a audição dos trabalhadores expostos aos ruídos excessivos, como também invistam em um mobiliário ergonômico para evitar que o trabalhador fique muito próximo à tela do computador, por exemplo.

Para evitar problemas de saúde causados pelo uso das tecnologias, afetando principalmente a audição e a visão, além da atenção ao mobiliário e aos equipamentos corretos, é preciso colocar em prática alguns hábitos. Confira a seguir:

 

Pisque mais

Quando você está muito concentrado em frente à tela do computador, naturalmente deixa de piscar regularmente, além de forçar o foco de visão. Por isso, dar mais atenção às suas piscadas e fazer algumas pausas, olhando para outro ponto que não seja a tela do computador, são algumas medidas que ajudam a evitar problemas de visão.

 

Não abra mão de uma iluminação adequada

Quando o ambiente de trabalho está escuro demais, pode causar sonolência, perda de noção do tempo, sensação de confinamento. Já um local claro demais causa reflexos indesejados e desconforto nos olhos. Portanto, um ambiente com iluminação adequada é um ambiente mais seguro, produtivo e com menos chances de causar problemas de visão.

 

Evite se expor a sons altos

Algumas funções exigem que os trabalhadores se exponham aos ruídos. Neste caso, protetores auriculares são indispensáveis. Já no caso de quem trabalha em escritório, uma dica importante é evitar colocar o volume do fone de ouvido muito alto, acima de 80 dB.

 

Use “tecnologia do bem”

Quanto mais novos forem os equipamentos que você usa, maiores são as chances de eles serem compostos por tecnologias mais modernas, diminuindo os efeitos que podem ser causados, por exemplo, por uma tela com muito brilho ou um aparelho de som que não permite a regulagem adequada.

E não se esqueça: em caso de dores, formigamentos, visão cansada ou qualquer outro desconforto, procure um médico.

Como vimos, os cuidados no ambiente de trabalho quando se trata de iluminação, computador, fone de ouvido e um mobiliário que promove o conforto auditivo e visual do profissional, são indispensáveis para preservar a saúde física e mental do trabalhador.

Por isso, é fundamental saber escolher móveis ergonômicos de qualidade. Continue acompanhando o nosso blog e entre em contato com a Prolabore para que possamos ajudá-lo a mobiliar o seu ambiente da melhor maneira.

Author:
Tags: , ,

POSTS RELACIONADOS

30 jun

3 dores causadas pela falta de ergonomia no trabalho – e como resolvê-las

Móveis mal projetados e ausência de ergonomia no trabalho causam problemas no ambiente profissional. Mas, reunimos 3 maneiras de resolvê-las.

Leia mais
19 maio

A importância da iluminação em um ambiente de trabalho ergonômico

A iluminação do seu ambiente de trabalho deve ser pensada a partir da ergonomia, planejada e ajustada à cada tipo de atividade realizada naquele local.

Leia mais
8 jan

Dores de cabeça no trabalho: dicas para evitar o desconforto

70% das mulheres e 50% dos homens no Brasil apresentam, no mínimo, uma crise de dor de cabeça por mês, diz pesquisa

Leia mais