16 fev

Investir em ergonomia evita gastos para as empresas

Os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais impactam (e muito) nas despesas das empresas. Existem custos diretos e indiretos relacionados a isso, que funcionam, muitas vezes, como os principais gastos enfrentados pelas organizações e englobam boa parte da receita da empresa. Uma série de fatores pode originar esses problemas, porém, um dos principais é a falta de cuidado com a ergonomia do ambiente.

Cenário brasileiro

Para entendermos como essa situação se configura no Brasil, é possível analisar dados relacionados a São Paulo, por exemplo. O Estado foi o que mais teve afastamentos entre 2012 a 2016. Neste período, cerca de 380 mil profissionais foram afastados por doenças acidentárias, ou seja, sofreram acidentes de trabalho ou tiveram doenças ocupacionais. E, no geral, em 2016, os gastos da Previdência com o Auxílio Doença Acidentário chegaram a mais de 1 bilhão de reais.

Como mudar essa situação? Com ergonomia

Investir em saúde e segurança evita maiores gastos para as empresas. Segundo uma pesquisa do Serviço Social da Indústria (Sesi), 48% das
organizações acreditam que aumentar as ações em segurança e promover a saúde dos trabalhadores reduzem as faltas ao trabalho, por exemplo. O que pode ser considerado como uma grande vantagem para aqueles que desejam evitar maiores prejuízos.

Pensando nisso, o Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Norma Regulamentadora (NR-17), orienta que toda empresa tenha uma Análise
Ergonômica do Trabalho (AET). Portanto, a nossa dica para mudar essa situação é: apostar em um ambiente de trabalho saudável, ou seja, mais ergonômico.

É preciso incluir investimentos em móveis ergonômicos no plano de negócio da sua empresa. Essa é uma das principais formas de vencer as doenças ocupacionais e, muitas vezes, os acidentes de trabalho. Para isso, escolha mesas, cadeiras e utensílios que ofereçam conforto e facilitem a boa postura, ajudando a garantir a saúde do trabalhador em diferentes aspectos.

Oferecer cadeiras confortáveis e ajustáveis ao biotipo do profissional permite que diversos problemas sejam evitados, como na coluna cervical ou no nervo ciático, por exemplo. Outro ponto a considerar são acessórios que ajudam, principalmente, a prevenir as lesões por esforços repetitivos (LER), como os mousepads e os suportes para monitores e computadores.

Gostou da publicação? Então, lembre-se: com a Prolabore é possível reunir no seu ambiente de trabalho os melhores e mais ergonômicos móveis. Entre em contato e saiba mais!

Author:
Tags: ,

POSTS RELACIONADOS

27 abr

Tudo que você precisa saber sobre a Norma Regulamentadora NR 17

Entenda o que é a NR 17, confira o que alguns artigos da norma dizem e saiba por que ela é tão importante para o bom funcionamento de uma empresa.

Leia mais
25 Maio

O que é Análise Ergonômica do Trabalho (AET)?

Acompanhar de perto a rotina dos profissionais é imprescindível para somar bons resultados. Entenda como aplicar a AET no seu dia a dia de trabalho.

Leia mais
20 abr

O papel da ginástica laboral na prevenção de LER/DORT

Conheça as vantagens de promover práticas como a ginástica laboral e compor o ambiente de trabalho com ergonomia.

Leia mais