1 jun

Quais as profissões mais sujeitas a problemas na coluna?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em torno de 80% da população está sujeita às famosas “dores nas costas”. A dor lombar é, aliás, a segunda causa principal que leva as pessoas às consultas médicas (só perdendo para a dor de cabeça). E alguns profissionais podem estar mais sujeitos do que outros a sofrerem com problemas na coluna – que são, também, a principal causa de afastamento do trabalho em pessoas com até 45 anos.

Entre esses profissionais, podemos citar vendedores, manicures, cabeleireiros, secretárias, recepcionistas, digitadores, programadores, atendentes de call-center, dentistas, carregadores, estoquistas, professores e qualquer pessoa que, por imposição profissional, fique muitas horas em uma mesma posição (sentada ou mesmo em pé), com postura inadequada. Também estão nessa lista os profissionais que fazem movimentos repetitivos, carregam peso ou fazem esforços excessivos. Acrescente-se aí o sedentarismo, o excesso de peso e até mesmo a predisposição genética, e entenderemos melhor o porquê de tantas pessoas sofrerem com lombalgias.

 

Má postura, esforço excessivo e outras armadilhas

Para prevenir qualquer prejuízo para a saúde física e mental, a receita básica é muito conhecida: alimentação balanceada, atividade física regular e boas noites de sono. Mas, considerando que ficamos a maior parte do dia em nosso local de trabalho, vamos acrescentar a essa lista a necessidade de prestar (muita) atenção à postura correta e à ergonomia no ambiente laboral.

Entre os profissionais citados anteriormente, secretárias, digitadores e recepcionistas exemplificam aquelas pessoas que permanecem sentadas por longos períodos de tempo e/ou ficam várias horas à frente de um computador. Isso aumenta a carga da coluna caso não seja mantida uma postura correta, e acarreta dor nos ombros, braços e pescoço.

É necessário manter o monitor do computador na altura dos olhos (e para isso existem diversos apoios no mercado, bem como para pés e punhos) e o mobiliário deve ser compatível com o porte e as necessidades da pessoa. Se há necessidade de se movimentar, mesmo estando sentado, é preciso que as cadeiras permitam essa mobilidade com segurança e conforto.

Perda de sensibilidade ou fraqueza nos braços pode afetar quem trabalha com o tronco cervical inclinado para a frente e o pescoço dobrado, como dentistas e manicures. As ‘contorções’ e as posições corporais inadequadas causam sobrecarga nos discos vertebrais. Para os motoristas, a postura ao dirigir pode pressionar o nervo ciático, acarretando dor na região lombar, nádegas, pernas e pés.

Já os trabalhadores nas centrais de distribuição, supermercados, feiras e mercearias, que têm trabalho de descarregar, organizar e carregar mercadorias diversas, lidam com peso e esforço excessivo. Dores musculares, artrose, hérnia de disco e outros problemas podem ser consequências dessa rotina. Esses profissionais precisam, além de manter a forma física, saber a maneira correta de carregar objetos: sem flexionar a coluna, aproximando o produto do peito.

 

Ergonomia é fundamental para a prevenção

É importante investir na prevenção das situações que podem causar prejuízos não só à saúde dos profissionais como ao próprio negócio, afinal, não faz nenhum bem para qualquer organização ter seus funcionários afastados do trabalho e sem poder produzir, não é?

Investir em programas de ginástica laboral, com orientação e práticas como alongamentos, pode trazer resultados muito bons na sua empresa. Sem deixar de lado o investimento em mobiliário e acessórios ergonômicos, que certamente trarão muitos benefícios para a organização: modelos de mesas e cadeiras que podem ser adaptadas ao biotipo do profissional, apoios para pés e punhos, suportes para monitores e tablets, por exemplo.

Não se deve esquecer que a ergonomia trata, também, de questões como a boa iluminação, espaço de circulação adequado, climatização, nível de ruídos e a obrigatoriedade do programa de prevenção de riscos ambientais. Tudo para que ambiente de trabalho seja agradável, seguro e confortável para os profissionais, estimulando um clima favorável e eficiente.

Entre em contato com a Prolabore e conheça tudo sobre os nossos produtos, desenvolvidos especialmente para atender às necessidades dos seus colaboradores. Acompanhe nosso blog para encontrar ainda mais informações relevantes sobre ergonomia e como ter um ambiente de trabalho sempre saudável.

Author:
Tags: ,

POSTS RELACIONADOS

2 mar

Call center: ergonomia ajuda colaboradores na rotina de trabalho

É possível eliminar até mesmo aqueles problemas que afastam os trabalhadores de call center, como as dores nas costas.

Leia mais
13 abr

Farmácia: como a ergonomia ajuda na rotina de trabalho

Problemas como LER e desconfortos músculo-esqueléticos podem ser solucionados com ergonomia.

Leia mais
23 fev

Supermercado: riscos de trabalho podem ser combatidos com ergonomia

Desde os estoquistas, repositores de mercadorias e empacotadores até os operadores de caixa, todos precisam de ergonomia durante a jornada de trabalho.

Leia mais
Chame no Whatsapp