26 out

Bursite e tendinite: como combatê-las com ergonomia?

Você já deve ter sentido algum desconforto nos pulsos ou até mesmo nos ombros, cotovelos e joelhos, mas acabou ignorando por ser um incômodo recorrente, certo? Saiba que essas dores podem ser muito mais sérias do que se imagina. Elas têm nome e endereço: são conhecidas como tendinite (desconforto no pulso) e bursite (ombros, cotovelos e joelhos) e, na maior parte das vezes, são desenvolvidas durante uma jornada de trabalho intensa.

Conheça tudo sobre essas duas doenças comuns decorrentes do esforço repetitivo e saiba como combatê-las com ergonomia:

 

Tendinite: inflamação, lesão e inchaço dos tendões

A tendinite nada mais é do que uma inflamação aguda (processo natural do organismo – história de dor recente ) ou crônica (duração prolongada – de semanas a meses) dos tendões, ou seja, das estruturas que ligam os músculos aos ossos. Essas dores ocorrem porque, diferente dos ossos e dos músculos, o tendão não é tão forte ou elástico, e qualquer sobrecarga faz com que essa estrutura seja muito prejudicada.

Entre os fatores de risco que levam uma pessoa à tendinite estão os movimentos repetitivos – uma das origens das principais causas de afastamento no trabalho, segundo dados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), as Lesões por Esforço Repetitivo (LER) atingem cerca de 100 mil colaboradores por ano só no Brasil, e a tendinite é classificada como uma dessas lesões. Mas não é a única causa: a falta de alongamento muscular, estresse ou manter uma postura errada durante o expediente também podem originar a tendinite.

Normalmente, os mais atingidos por esse problema são telefonistas ou aquelas pessoas que trabalham em frente ao computador, pois esses passam horas fazendo os mesmos movimentos, sem mudar de posição ou ter o cuidado necessário para manter a boa saúde durante a jornada de trabalho. Nesses casos, é mais comum a tendinite aparecer nos punhos, calcanhar, joelhos, ombros e cotovelos.

 

Bursite: inflamação na bursa

A bursite é conhecida como aquela inflamação que atinge as bursas (uma pequena bolsa com líquido que envolve as articulações, ajuda no movimento e reduz o atrito entre ossos, tendões e músculos). Ocorre em locais do corpo com maior número de bursas, como ombros, cotovelos e joelhos e, por isso, é muito comum que se desenvolva durante jornadas intensas de trabalho.

Muitas atividades do mercado exigem do corpo do trabalhador e acabam forçando partes mais sensíveis como a bursa. Assim como a tendinite, a bursite aparece para aquelas pessoas que realizam tarefas repetitivas (ou até mesmo em excesso), pois isso acaba gerando acúmulo de líquido nas bursas e ocasionando a inflamação. Entre os sintomas mais comuns estão: a dor e maior sensibilidade ao pressionar o local em que tem alguma articulação prejudicada, rigidez ou inchaço.

 

Como combatê-las? Com ergonomia

Com ergonomia, é possível manter a boa saúde de todos dentro de uma organização. E para evitar que as pessoas sofram com dores decorrentes da tendinite ou da bursite, tome algumas medidas preventivas. A primeira é certificar-se de que todos os móveis da sua empresa são ergonômicos e se as condições que você oferece aos trabalhadores estão de acordo com a Norma Regulamentadora NR 17. Esse é o passo inicial para construir um ambiente de trabalho saudável.

Levando em consideração que tanto a tendinite quanto a bursite podem ocorrer em qualquer articulação do corpo, o segundo passo é orientar os colaboradores a desenvolverem boas práticas ergonômicas, como:

 

1. Corrigir a postura

Além de contar com uma cadeira ergonômica, ajustável e regulável aos diferentes perfis de pessoas, ou utensílios como apoio para antebraço e para os pés, adote hábitos que diminuam qualquer incômodo como manter uma postura ereta durante todo o expediente.

 

2. Fazer pausas

Para prevenir qualquer dor nos tendões e articulações procure fazer pausas de meia em meia hora ou de 10 minutos a cada duas horas trabalhadas.

 

3. Evitar ficar na mesma posição por muito tempo

Para evitar que esforços excessivos levem você a sentirem dores no corpo, originando problemas como a tendinite e a bursite, procure não ficar na mesma posição durante muitas horas.

 

4. Fazer alongamentos

Outra medida interessante é fazer exercícios de alongamento diários, movimentando muitas das articulações do seu corpo (dos punhos e joelhos, principalmente). Combinando essa prática com o uso de mousepads ergonômicos, é possível proporcionar uma postura correta do punho e da mão, por exemplo, prevenindo qualquer problema ou dor decorrente de esforços repetitivos.

 

Deseja saber mais sobre o assunto? Então continue lendo o nosso blog e saiba tudo sobre como proteger e garantir a segurança dos seus colaboradores com produtos ergonômicos. Conheça as opções de mobiliário e utensílios da Prolabore.

 

Author:
Tags: , , ,

POSTS RELACIONADOS

30 jun

3 dores causadas pela falta de ergonomia no trabalho – e como resolvê-las

Móveis mal projetados e ausência de ergonomia no trabalho causam problemas no ambiente profissional. Mas, reunimos 3 maneiras de resolvê-las.

Leia mais
20 jan

Dor crônica: o mal que prejudica a rotina dos trabalhadores

Segundo dados da SBED ela é o principal motivo para incapacitar os profissionais

Leia mais
7 jul

4 alongamentos práticos para aliviar o desconforto no dia-a-dia

Trabalhar sentado por longos períodos de tempo em posição incorreta pode ser a causa de diversos problemas para o corpo.

Leia mais